Vírus da zika pode afetar reprodução masculina

Pesquisadores da universidade de Yale realizaram estudos a partir dos quais concluíram que o vírus da zika prejudica as células que produzem testosterona e faz os testículos encolherem.

Os testes foram feitos em camundongos e, mesmo depois de o vírus não estar mais presente no sangue dos animais, sua replicação continuou em células que fornecem testosterona aos testículos. Também foram encontrados níveis elevados de antígenos e do próprio vírus na região que armazena esperma e em células epiteliais próximas,  segundo informações divulgadas no portal UOL.

De acordo com o estudo, após 21 dias da infecção, os camundongos que foram infectados tiveram o tamanho de seu testículo significativamente menor, enquanto os animais que só foram expostos a uma simulação do vírus permaneceram com o órgão sem grandes diferenças.  Isto indica atrofia testicular progressiva.

Além disso, os cientistas identificaram redução na testosterona, sinalizando que a fertilidade masculina pode ser afetada. Os próximos passos do estudo são o monitoramento da fertilidade de homens que já foram infectados pelo vírus da zika e fazer estudos de longo prazo para descobrirem se os testículos podem se recuperar da atrofia.

 

Fonte: portal UOL 

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *