Projeto com mosquitos transgênicos reduzem em 95% população de Aedes em Indaiatuba

O combate ao vetor da dengue, zika,chikungunya e febre amarela, doenças causadas pelo  Aedes aegypti, ganhou mais um aliado. Depois de três meses de teste, o projeto Aedes do Bem, conseguiu reduzir em 95% da população do mosquito em bairros do município de Indaiatuba,  interior de São Paulo.

A fase de testes ocorreu durante 13 semanas, com a  implantação em 10 bairros de minicápsulas com milhares de ovos do mosquito geneticamente modificado. Quando os ovos eclodem, apenas os machos sobrevivem e, ao acasalar com as fêmeas selvagens, produzem uma descendência de apenas de machos, interrompendo assim o ciclo de reprodução do mosquito. É bom lembrar que a reprodução acontece em água limpa e parada, onde a fêmea coloca os ovos, que se espalham pelos possíveis criadouros.

A empresa que desenvolveu a tecnologia, a Oxitec, soltou as minicápsulas – com milhares de ovos do inseto transgênico – em residências da cidade.

Apesar dos resultados positivos do projeto, é importante continuar cuidando da casa e do quintal para acabar com os focos do mosquito Aedes aegypti. Não deixe acumular água em pneus, garrafas e bacias.

Compartilhar: