O verão acabou, mas cuidados com a dengue devem permanecer

em

Sabemos que o verão é a estação com maior circulação do Aedes, mas não é porque entramos no outono que os cuidados contra as doenças causadas pelo mosquito – dengue, zika e chikungunya, as chamadas “arboviroses” – devem parar. Vale lembrar que, se os criadouros não forem eliminados, os ovos depositados podem permanecer intactos por meses até o próximo verão, quando eclodem e dão origem a um novo mosquito. 

Segundo o 9º Boletim Epidemiológico, publicado pelo Ministério da Saúde, os casos de dengue aumentaram 35,4% entre janeiro e fevereiro de 2022, em comparação aos mesmos meses do ano passado. Foram registrados 30 óbitos e mais de 128 mil ocorrências da doença.

Os dados demonstram a importâncias das entidades continuarem realizando os monitoramentos para impedir o avanço das arboviroses. No entanto, a principal forma de combate ao mosquito continua sendo as pequenas ações do cotidiano. Cada pessoa deve fazer a sua parte, não deixando água parada em recipientes como vasos de plantas, piscinas, caixas d’água e calhas. Somente assim os focos serão eliminados.

O cloro possui eficácia comprovada no extermínio das larvas do mosquito. Por isso, não deixe de incluí-lo em sua rotina de limpeza da casa, cuidando de você e das pessoas ao seu redor. 

Compartilhar: