Não se pode descuidar do Aedes no frio

Com a chegada do outono, as chuvas diminuem e a temperatura começa a cair. Mas isso não é motivo para deixar de lado o combate ao Aedes aegypti. O mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya pode, sim, fazer vítimas durante as estações mais frias do ano.  André Machi, do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares da Universidade de São Paulo, explica que as fêmeas do Aedes têm a necessidade de picar após a cópula, para se nutrirem e garantirem o desenvolvimento embrionário dos ovos, a fim de gerar uma nova população de mosquitos.  No tempo frio, o tempo de desenvolvimento (ovo, larva, pupa e vida adulta) do mosquito aumenta. Consequentemente, o número de mosquitos diminui quando a temperatura fica abaixo de 20°C – e, entre eles, também há redução do número de mosquitos infectados, capazes de transmitir os vírus de doenças.

 

Assim como no verão, é preciso se proteger das picadas e evitar a proliferação do mosquito – especialmente dentro de casa, já que o ambiente quentinho e aconchegante de áreas internas pode atraí-lo. A água sanitária é a solução mais eficaz para o combate ao Aedes aegypti, além de ajudar a prevenir outras doenças como leptospirose, hepatites do tipo A e E e gastroenterites. O produto deve ser usado na proporção de 1 colher das de sopa por litro de água em ralos de pias, banheiros e cozinha e também deve ser colocado nos pratinhos das plantas.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *