Método Wolbachia de combate ao Aedes chega a Belo Horizonte

O método inovador é mais uma estratégia para o combate da dengue, zika e chikungunya.

Depois do sucesso em Niterói (RJ), em que houve redução de 75% nos casos de febre chikungunya, o  método Wolbachia, iniciativa do World Mosquito Program (WMP), conduzida no país pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com apoio financeiro do Ministério da Saúde, chega a Belo Horizonte.

Cerca de 275 mil mosquitos Aedes aegypti que não desenvolvem os vírus da dengue, zika, chikungunya e febre amarela começaram a ser soltos na capital mineira esta semana.  Os mosquitos contaminados com o microrganismo intracelular presente em 60% dos insetos da natureza é capaz de interromper a transmissão de doenças causadas pelo Aedes..

A liberação dos mosquitos com Wolbachia começou nos bairros de Copacabana, Piratininga e Jardim Leblon. O programa passará complementar as demais ações de controle das arboviroses realizadas pela prefeitura.

Para possibilitar a chegada dos insetos até cidade foi construído uma biofábrica, no bairro São Francisco, onde serão produzidos os mosquitos com Wolbachia , o que proporcionará maior sustentabilidade para o projeto na cidade, sendo o primeiro município do mundo a dispor desta estrutura própria.

Fonte: Fiocruz e jornal Hoje em Dia

Compartilhar: