Fiocruz: Estudo investiga dor nas articulações pós-chikungunya

em

Pesquisadores da Fiocruz Bahia realizaram uma pesquisa para investigar os fatores de risco que levaram os pacientes que tiveram chikungunya a persistirem com artralgias (dores nas articulações) meses após o diagnóstico e quais os impactos deste desconforto na vida dos pacientes.  Segundo o estudo, realizado com 153 pacientes com diagnóstico da enfermidade,  42,5% apresentaram dores nas articulações após três meses do início da doença e 30,7% continuaram com o sintoma mesmo após um ano e meio do diagnóstico.

A dor nas articulações é um dos sintomas mais comuns da infecção por chikungunya durante a fase aguda da doença. Passada a fase inicial, os sintomas podem desaparecer completamente ou evoluir para artralgia contínua, que persistindo por três meses ou mais é classificada como crônica. No estudo, o sexo feminino e a idade foram apontados como os maiores fatores de risco para a dor persistente.

O grupo de pessoas com dor nas articulações por mais três meses (93,8%) teve limitações nas atividades diárias, como pentear o cabelo e vestir a roupa, mais da metade (61,5%) relataram sofrimento mental, como alterações no humor e sinais de depressão.

O estudo coordenado pelo pesquisador da Fiocruz Bahia, Guilherme Ribeiro, foi  descrito em um artigo no  periódico international Journal of Infectious Disease. Diante desses dados, os pesquisadores ressaltam que o desenvolvimento de novas estratégias para mitigar a transmissão da chikungunya e o fornecimento de assistência médica de longo prazo para esses pacientes é urgente.

 

Fonte: Fiocruz

 

Compartilhar: