Farmacêutica japonesa cria vacina contra dengue e pede registro na Anvisa

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recebeu o pedido de registro de vacina contra a dengue da farmacêutica japonesa Takeda. A TAK-003 protege contra os quatro sorotipos e pode ser aplicada em pessoas entre 4 e 60 anos que contrariam ou não a enfermidade.

A vacina é feita por uma versão enfraquecida do vírus, incapaz de provocar sintomas importantes e foi testada em 20 mil crianças e adolescentes, que  foram recrutados entre 2016 e 2017 e seguem em acompanhamento para conferir outros dados, como a duração da imunidade e segurança em longo prazo.

A fase 3 de testes demonstrou eficácia geral de 80,2% na prevenção de casos confirmados de dengue, 90% nas hospitalizações e dengue hemorrágica, a versão mais grave da doença 85%.

Segundo o estudo, a imunização ser realizada em duas doses, com três meses de intervalo, e ainda não se sabe se precisará ser reaplicada de tempos em tempos.

A Anvisa tem 60 dias para aceitar ou recusar o pedido de registro da Tak-003. A ideia é que a vacina seja negociada com o governo e incorporada ao Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Comunicado divulgado em março pela farmacêutica japonesa informa que que também seriam encaminhados este ano documentos solicitando registros em outros países que também sofrem com surtos de dengue como Argentina,  Colômbia, Indonésia, Malásia, México, Cingapura , Sri Lanka e Tailândia.

Atualmente no Brasil existe apenas uma vacina aprovada que ajuda a proteger contra a dengue, a Dengvaxia, da Sanofi-Pasteur, mas é recomendada apenas para quem já contraiu a doença.

.

Compartilhar: