Dengue não aumenta a gravidade de infecções por zika, mostra estudo

Graças à memória de um tipo específico de células de defesa, os linfócitos B e T, pacientes previamente infectados com dengue podem adquirir imunidade ao zika vírus. Esta foi a conclusão de uma série de estudos realizados pelo “Nature Communications”, publicados nesta segunda-feira, segundo reportagem do portal G1.

Após diversos testes com camundongos, foi possível observar o comportamento destas células em relação ao agente invasor por elas detectado: ainda que as cobaias adoecessem, sua recuperação mostrava-se rápida e efetiva. E, em determinados casos, estes linfócitos apresentavam até mesmo a capacidade de criar uma defesa cruzada entre si, criando assim uma resistência contra ambos os vírus.

A relevância desta descoberta é muito importante  para as  pesquisa a respeito de possibilidades de vacinas contra todas as três doenças transmitidas pelo Aedes aegypt – zika, dengue e chikungunya, que criaram uma situação de emergência global.

Com os avanços dos estudos científicos, a percepção dos pesquisadores é que talvez seja justamente uma infecção prévia da dengue que impede o zika de ter consequências mais graves, como as anomalias em bebês.

Fonte: Portal G1

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *