Da gestante para o feto: pesquisa mostra como zika vírus é transmitido

Um estudo brasileiro, conduzido por pesquisadores de instituições do Rio de Janeiro, revelou como o zika vírus é transmitido da gestante para o feto, sendo capaz de infectar a placenta e causar más-formações, como a microcefalia. A pesquisa foi divulgada no jornal científico Frontiers in Immunology, em 1º de setembro.

Pesquisadores analisaram 15 amostras de placentas coletadas durante o pico do surto de zika vírus no País, de 2015 a 2016. Entre as amostras, cinco eram de grupo controle não infectado e 10 eram de mulheres que estavam com o vírus, das quais cinco tiveram bebês com microcefalia e cinco, bebês sem más-formações.

O estudo mostrou que o zika consegue burlar as defesas da placenta, ampliando as chances de o vírus chegar ao feto, e pode criar uma infecção persistente, provocando uma inflamação forte por meses, causa de alterações expressivas nos tecidos e vasos sanguíneos da placenta, o que pode explicar alterações no desenvolvimento fetal.

De acordo com pesquisadores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), as descobertas podem contribuir para a definição do perfil de infecção em novas pesquisas e a compreensão da resposta imunológica causada pelo vírus, além de ajudar no desenvolvimento de remédios e vacinas, a partir da identificação de células imunes.

Fontes: Revista Crescer e Frontiers in Immunology

Compartilhar: