Conhece mesmo o Aedes aegypti?

Como outras doenças, a dengue, a chikungunya e o zika vírus, transmitidos pelo Aedes aegypti, deixam muitas pessoas com dúvidas, o que dificulta o combate eficiente ao mosquito, cuja regra número um é evitar água parada em qualquer local e época do ano. Esclareça quatro das principais dúvidas sobre o assunto.

Todas as pessoas picadas pelo mosquito transmissor irão desenvolver doença?
Mentira! Em primeiro lugar, o mosquito precisa estar contaminado com o vírus. Além disso, entre 20% e 50% das pessoas picadas desenvolvem formas subclínicas da doença, isto é, não apresentam sintomas. Mesmo assim, em caso de qualquer suspeita, é importante procurar o posto de saúde mais próximo.

Para matar os ovos do mosquito, basta secar os reservatórios de água parada?
Mentira! Não é apenas o simples ato de secar os reservatórios de água parada que irá impedir o mosquito da dengue de se reproduzir. É preciso também limpar o local, pois o ovo ainda pode ser manter “vivo” por mais de um ano sem água.

As larvas do mosquito só se desenvolvem em água limpa?
Mentira! Os ovos do mosquito também podem se desenvolver em água suja e parada, apesar da preferência ser por água limpa. Hoje se discute até se as fêmeas do Aedes têm realmente preferência pela água limpa. Para combater a dengue, o importante é acabar com qualquer reservatório de água parada, seja limpa ou suja.

Repelentes são fundamentais no combate à dengue, zika e chikungunya?
Mentira! Repelentes, velas de citronela ou andiroba, ao contrário do que muitas pessoas pensam, têm efeito indeterminado e temporário no combate às doenças provocadas pelo Aedes aegypti.

Compartilhar: