Cloro ganha mais um aliado na luta contra o Aedes

O combate contra o Aedes aegypti não pode parar e a melhor estratégia é realizá-lo durante todo o ano. Com a aproximação da época das chuvas, o monitoramento dos pontos de proliferação do mosquito deve ser intensificado com o objetivo de fazer um trabalho de prevenção, colaborando para manter os índices sob controle no período chuvoso.

E o hipoclorito de sódio, um dos produtos mais eficientes contra o transmissor da dengue, zika e chikungunya, ganhou um grande aliado tecnológico: o uso de drones.

Várias cidades brasileiras já estão adotando esse novo método de combate à proliferação do mosquito. Alguns equipamentos, controlados pelo Corpo de Bombeiros em parceria com a Vigilância Sanitária, podem chegar a uma altura de 120 metros e realizar uma varredura por cerca de 1 km de raio.

Ao sobrevoar as áreas de risco, o drone fornece imagens de possíveis focos de proliferação do Aedes que seriam inacessíveis aos agentes em solo. Esses locais são fotografados e enviados à equipe da vigilância sanitária que vai até o ponto para realizar as tratativas.

Alguns drones já estão equipados com larvicida, produto que ajuda a exterminar as larvas do mosquito, recomendado pelo Ministério da Saúde e que não contamina o meio ambiente e nem afeta a saúde da população. Dessa forma, os próprios equipamentos já fazem o trabalho de prevenção.

Porém, mais importante do que o trabalho dos agentes de saúde e do uso da tecnologia no combate ao mosquito, é a participação e a colaboração da população. É imprescindível que as pessoas mantenham os ambientes limpos e que os possíveis criadouros sejam eliminados.

Com medidas simples, podemos evitar que o mosquito Aedes espalhe e provoque doenças.

Compartilhar: