Cientistas descobrem como inativar visão do Aedes e evitar picada

Pesquisadores da Universidade de Santa Barbara, na Califórnia, desenvolveram estudo para entender como as fêmeas do Aedes aegypti usam a visão para reconhecer humanos. Eles descobriram que com a inativação dos receptores de luz dos olhos do mosquito transmissor da dengue, eles perdem a capacidade de reconhecer alvos escuros.

O estudo é um dos primeiros a decifrar aspectos de como o Aedes usa a visão para encontrar alvos humanos após a estimulação com CO2 emitido pelos humanos.

“Apesar de todo o interesse em estudar como os mosquitos detectam CO2 , odores orgânicos e temperatura, os mecanismos moleculares pelos quais os mosquitos identificam as pessoas visualmente foram amplamente ignorados”, disse Craig Montell, professor de biologia molecular e um dos autores do estudo. “Esta é a primeira vez que alguém elimina geneticamente a atração de alvos guiada pela visão”, disse.

Para os cientistas, a compreensão de como a visão guia as fêmeas do mosquito Aedes é importante porque elas costumam picar durante o dia e são transmissores de doenças como  dengue, febre amarela, zika e chikungunya. O Aedes enxerga em baixa resolução, tem os olhos sensíveis e, ao detectar uma nuvem de CO2 emitida pelos humanos, ele geralmente voa contra o vento em direção ao odor, procurando por um hospedeiro, em busca de um foco de cor escura.

Os pesquisadores notaram a tendência do Aedes se mover em direção à luz, depois conectaram eletrodos aos olhos deles para medir as mudanças de voltagem em resposta à luz. Quando colocados no centro de um cilindro giratório com listras verticais pretas e brancas, os insetos começam a caminhar em direção à rotação. O teste forneceu informações sobre o funcionamento da visão dos mosquitos.

No futuro, a equipe planeja identificar outras proteínas de sinalização envolvidas no comportamento de busca de hospedeiros, alimentação de sangue e alimentação de néctar em mosquitos Aedes.

Fonte: The Current

Compartilhar: