Cientista brasileiro desenvolve vacina contra zika vírus

em

O pesquisador brasileiro e professor de patobiologia e ciências veterinárias na universidade norte-americana de Connecticut, Paulo Verardi, criou uma vacina que se mostrou eficaz em estudos pré-clínicos, protegendo da infecção pelo vírus zika. A descoberta foi publicada, em março deste ano, no periódico científico em Scientific Reports. Ele também entrou com pedido de patente provisória para nova tecnologia da plataforma de vacina.

Verardi estava no Brasil visitando a família no verão de 2015, quando o surto de zika começou a se espalhar e logo atingiu o status de epidemia. Ao voltar para os Estados Unidos, o cientista continuou monitorando a situação da enfermidade e iniciou o desenvolvimento de vacinas. Usando a sequência genética do zika, Verardi e a então estudante de doutorado Brittany Jaspers, desenvolveram e testaram várias vacinas visando encontrar uma solução que criasse partículas pseudovirais (VLPs, na sigla em inglês), moléculas que se assemelham ao vírus, mas sem capacidade de infecção, ajudando a estimular o sistema imunológico de forma natural. As VLPs não têm material genético e são incapazes de se replicar, ou seja, são seguras.
Testada em ratos, a vacina mostrou roedores que receberam apenas uma dose, desenvolveram uma forte resposta imune e ficaram completamente protegidos da infecção pelo vírus zika.

Além do imunizante ter se mostrado eficaz em estudos pré-clínicos, a pesquisa pode abrir caminho para descobertas no combate outros flavivírus — gênero do qual o vírus zika faz parte e inclui os causadores da dengue, da febre amarela e da febre do Nilo Ocidental.A identificação de quais mutações aumentam a expressão de VLPs do zika, por exemplo, podem contribuir para uma melhor produção de vacinas.

Fontes: https://www.eurekalert.org/pub_releases/2021-04/uoc-urd040121.php

Compartilhar: