Casos de chikungunya crescem 640% este ano em Salvador

em

O número de casos de chikungunya, uma das doenças transmitidas pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti, aumentou 640% do começo este ano até o dia 13 de abril na capital baiana. Segundo os portais G1 e Toda Bahia, foram registrados 1.606 casos de pessoas infectadas ante 271 em igual período do ano passado.

Em todo o estado da Bahia, os casos de chikungunya avançaram 544% ante o mesmo período de 2019.

Segundo o último boletim epidemiológico de monitoramento divulgado pelo Ministério da Saúde este mês, referente aos casos registrados no País este ano até o dia 11 de abril, a  Bahia é o estado que concentra  o maior número de casos, com 26,1% do total de 16.087 casos prováveis no País, seguido por Espírito  Santo (22,5%) e Rio de Janeiro (17,7%)

Os sinais e sintomas da chikungunya são parecidos aos da dengue – febre de início agudo, dores articulares e musculares, dor de cabeça, náusea, fadiga e erupções na pele. A diferença principal  em relação a dengue são as fortes dores nas articulações, que muitas vezes podem estar acompanhadas de edema.

Compartilhar: