Casos de chikungunya crescem 223% em Salvador

A cidade de Salvador apresentou um crescimento de  223% nos casos de chikungunya, de janeiro e novembro de 2020, em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde divulgados pela imprensa (Bahia com Tudo, o Jornal da Cidade e Bahia no Ar). Foram registrados até novembro 11.836 casos de chikungunya, ante 3.659 em 2019.

Entre os motivos que explicam esse aumento do número de casos, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, está a diminuição da vistoria nas casas, devido ao isolamento social decorrente da pandemia. Para evitar contaminação pela covid-19, os agentes de saúde tiveram de interromper os trabalhos de vistoria dentro das residências – eles só podem fiscalizar a parte externa das residências.

De acordo com a Secretária de Saúde, o aumento expressivo de casos ocorreu em abril e maio, exatamente logo depois que começou a pandemia.

O aumento do número de casos da doença em Salvador reforça a importância de realizar vistorias frequentes dentro de casa para identificar possíveis focos  do Aedes aegypti, como pontos de água parada.

Compartilhar: