Biossensor detecta vírus da dengue e da zika ao mesmo tempo

Atualmente, os exames para diagnosticar dengue e zika, doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti, são realizados por meio de amostras de sangue em testes separados. Mas esse tipo de análise pode estar com os dias contados. Estudo da Universidade Federal de Goiás (UFG), em parceria com a Universidade de São Paulo (USP), desenvolveu um biossensor que detecta os dois tipos de vírus ao mesmo tempo. A pesquisa desenvolvida pelo universitário do curso de química da UFG, Lucas de Castro, recebeu o Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica do CNPq.

O pesquisador da UFG conta que a análise é feita por meio de uma técnica intitulada eletroquímica, que observa reação do sistema imunológico: “Nossos sensores estão nos anticorpos, que fazem ligações químicas específicas com cada vírus, assim, quando temos um sensor sanguíneo de paciente infectado com o vírus é possível observar uma diferença no perfil eletroquímico e através desta mudança diagnosticamos o paciente”, explicou Castro, em entrevista à Rádio Agência Nacional.

Outra vantagem do projeto é a ideia de desenvolver testes para as enfermidades com um custo menor. Segundo o cientista da UFG é possível produzir 100 testes por apenas R$ 2,00. Um custo-benefício melhor do que os exames oferecidos hoje em dia nas clínicas particulares, onde teste do vírus da dengue sai por cerca de R$ 120,00, valor este que sobe para R$ 480,00 quando se trata de teste de zika vírus.

Iniciado há cerca de dois anos, o estudo está em andamento e, segundo os pesquisadores, têm alcançado resultados preliminares satisfatórios. Ainda serão realizados mais testes antes de lançar o dispositivo no mercado.

Fonte: Agência Brasil

Compartilhar: